• Natália Giardini

MARKETING DE CONSCIÊNCIA: A participação das empresas na integração LGBT+


A inclusão social é uma pauta crucial para a humanidade do século XXI. É necessário ressaltar que essa inclusão é feita por intermédio de medidas cabíveis a sociedade para integrar e modificar o status quo e discutir tabus muitas vezes ignorados. Um dos assuntos mais importantes é a integração do público LGBTQIA+ nos processos sociais, entre eles, o mercado de trabalho. Muitas empresas tem modificado sua maneira de contratar e de fazer seu posicionamento de marca.


Os processos seletivos começaram a dar voz as minorias e a procurar entender o público que eles estavam atingindo - por meio de questionários durante o processo, se tornou possível mensurar quem está participando da seleção. Um dos critérios passa a ser “pessoas com vontade de trabalhar” e não mais fenótipos ou gêneros.


Em anúncios de processos seletivos, está bem claro a palavra que melhor exemplifica essa fase: a empatia. As empresas têm levado em consideração as competências de qualquer pessoa que tenha disposição em trabalhar e vontade de aprender, ao deixar de lado preconceitos e implantar conceitos de aceitação, trabalho em grupo e diversidade.



Mas por que a diversidade é tão importante para o mundo corporativo?


Um dos lados dessa moeda mostra o Marketing de Consciência, baseado na criação, em relação a marca, de um status de aceitação e afeto por todos, abrangendo mais públicos e colocando um posicionamento mais moderno no mercado. Além disso, a diversidade ajuda as empresas a crescerem através de ideias novas que são dadas pelos inovadores pontos de vistas antes não contratados.


Uma revolução também acontece no posicionamento de marca, qual as empresas têm participado de ações virtuais, levantado bandeiras e apoiado causas abertamente. No dia 28 de junho comemora-se o dia do Orgulho LGBTQIA+, data lembrada e celebrada mundialmente, que marca um episódio ocorrido em Nova Iorque em 1969. Nesse momento, diversas corporações apoiaram a causa com mudanças de cores em seus logotipos e ajuda a entidades beneficentes. São marcos da nossa sociedade ao mostrar-se com intenções positivas e de progressos.


O mercado se adapta ao público e as empresas, que têm um nome a zelar, fazem de tudo para serem inseridas no cotidiano dos consumidores da maneira mais sutil e responsável possível, tornando-se parte da rotina de todos. Essa tática de branding e posicionamento, nada mais é do que criar uma afeição pela marca e buscar se tornar a mais querida do mercado.


Um dos casos que viralizou na internet foi o da Ambev, onde um internauta provocou a marca a fazer um “dia do orgulho hétero”. A empresa, por sua vez, foi categórica em afirmar que não o faria, demonstrando que não existe preconceito reverso.


Posicionamentos e ocasiões onde as empresas expressam sua visão ampla como marca são importantes e contribuem para a mudança do mundo, pois além de serem influenciadas pelo comportamento do consumidor, as marcas também podem influenciar esse consumidor a mudar suas visões e conceitos diante de uma boa estratégia de marketing.


O mais importante do fato das empresas estarem inovando em seus processos mais inclusivos e em suas propagandas onde há a representatividade é o ganho social. As minorias ganham visibilidade, ajuda assistencial, respeito e podem sonhar com um mundo melhor e mais seguro para todos.





Quer saber mais sobre a gente?

Confira agora nosso artigo "O que é uma Empresa Júnior?"

e nos acompanhe nas redes!

EPPEN JR Consultoria

UNIFESP Osasco



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo