• Alessandro Marques e Kelly Teles

COMUNICAÇÃO NÃO-VIOLENTA NAS ORGANIZAÇÕES

A CNV e o Departamento de Gestão de Pessoas

Com o advento da Globalização, em meados dos anos 90, iniciou-se a diversidade nas organizações. A pluralidade de perfis comportamentais, sociais e culturais se tornou indispensável no ambiente corporativo para explorar novos mercados e despertar as suas demandas, de maneira passível de compreensão das peculiaridades e expectativas de cada cliente. Se por um lado a diversidade proporciona uma melhor produtividade e vantagem competitiva; por outro, são proporcionadas relações extremamente complexas em que eclodem os mais variados tipos de conflitos.

Situações conflitivas surgem naturalmente em qualquer relação entre duas ou mais pessoas independentes do ambiente. No entanto, quando ocorrem no local de trabalho e não são resolvidas de maneira efetiva, afetam não só as partes envolvidas, mas também a empresa como um todo, já que reflete diretamente no clima organizacional e consequentemente em resultados menos favorecidos.

Dessa forma, a Gestão de Pessoas tem como objetivo atingir os níveis máximos do capital humano, proporcionando bem-estar e motivação aos envolvidos. Ela é responsável por evitar e intermediar conflitos, utilizando estratégias de aprendizagem que desenvolvam empatia e resiliência em detrimento de julgamentos e preconceitos enraizados em seus colaboradores.

Uma das metodologias que mais contribuem para um ambiente de trabalho saudável é a CNV (Comunicação Não Violenta), desenvolvida pelo Psicólogo Marshall B. Rosenberg, cujo objetivo é facilitar o diálogo sem a necessidade de culpar, ofender, julgar ou punir o outro, o que gera comportamentos mais conscientes baseados na compaixão. Essa técnica permite que todos compreendam e sejam compreendidos, atendendo a todas as necessidades e fortalecendo as relações.

Os quatro elementos essenciais da Comunicação Não-Violenta

No livro “Comunicação Não-Violenta: Técnicas para aprimorar relacionamento pessoais e profissionais”, o autor Marshall B. Rosenberg explica que, para que a CNV seja aplicada eficientemente, é necessário observar quatro itens. São eles:


1 - Observação

Para que alguém consiga utilizar a CNV como base de sua comunicação interpessoal, é preciso ficar atento ao que de fato ocorre em alguma situação, sem distorcer o acontecimento, sendo fiel aos fatos. Quando alguma pessoa acrescenta algum julgamento ao determinado caso, perde-se a essência do que realmente ocorreu naquele certo momento em que foi feita a observação e o retorno desse ocorrido não será pautada em uma análise neutra.


2 - Sentimento

Em segundo lugar, é fundamental compreender o que você sente após a observação de uma determinada situação. Entretanto, muitas pessoas se perdem na hora de saber o que é um sentimento e, muitas vezes, confundem com um pensamento. Por exemplo, quando alguém fala “estou de coração partido, pois terminaram comigo” não é uma expressão do sentimento, mas sim de uma causa ocasionada por terceiros. Ao comentar “sinto-me muito triste e magoado(a) com o nosso término”, podemos identificar quais sentimentos estão sendo pontuados, no caso, tristeza e mágoa. Por isso, é muito importante saber diferenciar o que se sente do que se pensa.


3 - Necessidades

Tão importante quanto entender quais sentimentos são acionados após a observação de um fato, é saber entender quais necessidades estão atreladas a isso. Quando nossos desejos não são atendidos é comum relacionar com terceiros. Isentar-se da responsabilidade de assumi-los pode gerar conflitos futuros como culpar outrem pela necessidade pessoal não atendida. Quando alguém expressa suas vontades há uma possibilidade maior de que elas sejam realizadas.


4 - Pedido

Após passar e expressar todas estas etapas, através de um pedido claro, direto e realista, conseguimos deixar claro o que se quer da outra pessoa. Quanto mais específicos formos, maiores as chances de o pedido ser concretizado. Muitas vezes, ele surge através do feedback que você passa a outra pessoa. Por isso, deve-se usar uma linguagem positiva e direta para solicitar algo.


Impacto da CNV


À medida que a CNV substitui velhos padrões de comunicação pautada em julgamentos e críticas, novas habilidades de resolução de conflitos surgem de forma eficiente. Reações violentas são substituídas por reações mais conscientes. A forma como as pessoas se comunicam.

Entre si é muito importante para identificar e resolver problemas, quando nos concentramos em tornar mais claro o que está sendo observado, sentido e necessitado. A Comunicação Não-Violenta não é uma ferramenta que resolverá todos os problemas, por isso, é muito importante saber quando utilizar e, mesmo que não seja a solução para algum determinado momento, pautar-se nela é uma forma eficiente de focar no problema em si.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo