• Gabriel Eiji , Guilherme Costa e Luis Maia

Organização no ambiente de trabalho



A organização do trabalho é uma tarefa que tem como objetivo aumentar o rendimento e a produtividade da equipe ou dos membros que realizam um trabalho,ou serviço. Muitos gestores e equipes de RH buscam essa organização para gerar mais controle e alcançar uma produtividade melhor para equipe. Primeiramente, precisamos ter em mente que para o início de todo trabalho, a organização pode até afetar o nosso desempenho e rendimento no serviço, porém, quando chegamos a um local de trabalho organizado, conseguimos extrair o máximo do nosso potencial. Para termos uma noção sobre organização, podemos usar um relógio de precisão, como exemplo, se percebermos o funcionamento do relógio, onde todas as peças precisam estar funcionando, para que juntas formem uma informação e realizem o serviço de contar as horas. Cada peça tem a sua função, mas ela sozinha não realiza o trabalho completo, isso se chama - Organização do Trabalho, cada peça funciona conforme à sua função em conjunto com as demais, conseguem alcançar o objetivo final.


Quando essa organização é adotada em algum meio profissional, a tendência natural é que hajam apenas vantagens e melhorias ao ambiente e ao funcionamento dele, sendo elas: aumento da produtividade, otimização do tempo, maior foco nas atividades, bem-estar e conforto. O aumento da produtividade está estritamente ligado à presença ou ausência de possíveis contratempos que podem surgir ao longo do trabalho. Em outras palavras, a falta de ordenação impacta diretamente no rendimento de um profissional, obrigando-o a se ocupar com tarefas que não estavam programadas e, assim, diminuindo a sua produtividade diária. A otimização do tempo está ligada diretamente com a frase - tempo é dinheiro, extremamente presente e válida no meio corporativo.

Por isso, a partir de uma sistematização, você consegue otimizar a rotina de tarefas, cumprindo exatamente o que foi planejado e, dessa forma, reduz o tempo ocioso. Os bons resultados serão consequência direta dessa organização. Já o maior foco nas atividades é outra vantagem que está muito relacionada com a presença de contratempos, afinal já ficou claro o quanto a falta de organização pode tirar o foco principal de um trabalhador, impedindo-o de ser produtivo como desejado.

O bem-estar e conforto está presente na relação entre funcionário e empresa, pois ao garantir um local de trabalho organizado e confortável, a empresa aumenta o engajamento e a motivação de seus funcionários, fazendo com que eles se sintam cada vez mais à vontade dentro do ambiente de trabalho. Portanto, é extremamente claro o quanto a organização do trabalho é responsável por refletir diretamente no desempenho individual de cada funcionário, e assim, resultar no crescimento produtivo de toda a empresa.


Em meio a todas as dificuldades encontradas pelas empresas em aplicar essa organização da forma correta para alcançar bons resultados futuros, o 5S é um método de gestão capaz de auxiliar as empresas nesse processo. A metodologia foi desenvolvida no Japão pós Segunda Guerra Mundial e consistia em 5 fases que regem uma linha de organização com foco na eficiência dos processos, agilizando estes e evitando desperdícios. Os 5S se referem a:


Seiri (classificar): essa fase consiste nos levantamentos e classificação do seu local de trabalho e processo, evitando assim itens desnecessários que dificultem, atrapalhem ou simplesmente não são necessários para o processo que será executado.

Seiton (organizar): após a classificação, deve haver a organização do local de trabalho para maior eficiência do processo. Uma vez que todos os itens desnecessários foram removidos, agora é a hora de posicionar os necessários da melhor maneira possível.

Seiso (limpar): após organizar o local, é fundamental a realização de limpeza frequente. Essa fase evita o acúmulo de novos itens desnecessários, que novamente geraria um aumento de ineficiência.

Seiketsu (padronizar): essa fase, diferente das outras três anteriores, tem como finalidade verificar o que foi implementado de maneira correta e padronizar esses processos, uma vez que a adoção de caminhos alternativos para resolver um problema sempre são aplicados, mas nem sempre avaliados como algo que poderia ser executado para todos dentro do processo, dependendo assim de cada indivíduo.

Shitsuke (manter): nesse fase só haverá a manutenção dos procedimentos anteriormente descritos.

O 5S é um procedimento amplamente difundido no mundo, simples em sua concepção, mas de grande poder na organização do seu ambiente de trabalho, ele foi difundido dentro do sistema da Toyota, o toyotismo, na década de 70, e desde então é muito empregado no ocidente como uma metodologia para organização no ambiente de trabalho.



Quer saber mais sobre o assunto? A EPPEN JR pode te ajudar! Você pode entrar em contato conosco clicando aqui. Ah! Não se esqueça de nos seguir em nossas redes sociais para estar sempre atualizado sobre esse e muitos outros assuntos.


Quer saber mais sobre a gente?

Confira agora nosso artigo "O que é uma Empresa Júnior?"

e nos acompanhe nas redes!

EPPEN JR Consultoria

UNIFESP Osasco

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo